Se você não tem a mínima habilidade na cozinha, mas quer começar a frequentar mais a beira do fogão, aí vai uma dica quente: tente não ser muito perfeccionista. Cozinha é um jogo de erros e acertos.

Errar é bem chato, mas é assim que a gente aprende qualquer coisa na vida. Não sou nenhuma profissional, mas sou curiosa e gosto de experimentar coisas novas. Receitas eu não sigo muito, uso-as mais como inspiração para criar as coisas com o que eu tenho em casa e de acordo com o meu gosto.

Gosto de adaptar pratos muito gordurosos ou carregados de sal, açúcar ou condimentos industrializados, para opções mais leves, caseiras e naturais.

Isso me custa muitos erros, é fato, mas a parte boa é que eu acabo inventando a minha versão das coisas. Esses dias mesmo, eu vi num perfil do Instagram o nhoque do restaurante Esquina Mocotó. Na mesma hora começou a sair água da minha boca (esse prato é mega bom, e eu sou uma pessoa lombriguenta). Só que tem um porém: ele é feito com mandioca, leva tucupi e quiabo – mais brasileiro impossível! 

Enfim, não rola achar essas coisas por aqui, então tive que dar meus pulos pra acalmar as lombrigas. Ficou meio que nada a ver com a receita que vi no Insta? Ficou! Mas ficou bem bom e me deixou muito feliz!

O que quero dizer com isso é que você não precisa deixar de fazer algo porque não tem todos os ingredientes. Por exemplo, eu adoro queijo de cabra (que vai nesse prato também), mas no Brasil acho muito caro. Aqui eu uso porque é super acessível. Mas não deixaria de fazer se não tivesse esse ingrediente. 

O negócio é ser flexível e, com isso, me refiro também ao processo. Não é porque você não manja de todos os paranauê da cozinha que não pode fazer coisas simples e gostosas! Eu por exemplo não levo muito jeito pra massa. Até pretendo aprender um dia fazer a versão de nhoque caseira, mas, enquanto ainda não desenvolvi esse dom, vou fazer o que? Não comer nhoque, ou esperar que minha mãe faça pra mim? Não dá, né, a lombriga tem urgência.

Então, comprei uma massa fresca no mercado feita com batata que foi muito bem-vinda. Claro, é preciso ler o rótulo, saber o que você está comprando: quanto menos processado, melhor. Mas vamos desencanar um pouco e fazer o melhor que pudermos por nossa alimentação! O importante é criar o hábito de ir pra cozinha e tentar consumir comida caseira a maior parte da semana! A saúde agradece e o paladar também. Agora chega de lenga, lenga e mão na massa, literalmente!

Nhoque de vegetais com molho agridoce

Nhoque na manteiga com vegetais e molho agridoce

Ingredientes
500 g de nhoque
2 colheres (sopa) manteiga
1/2 cebola
1/2 colher (chá) de alho em pó
2 xícaras de ervilha torta
1 xícara de cogumelo Paris fatiado
1 colher (sopa) de cream cheese
2 colheres (sopa) queijo de cabra

Agridoce de tomatinho
1/2 cebola
1 colher (sopa) óleo
10 tomatinhos cereja
1 colher (sopa) de açúcar mascavo
1 colher (sopa) de shoyu
1 pitada de sal
1 pitada de pimenta-do-reino moída na hora

Modo de preparo
Coloque o nhoque para cozinhar em água fervente com um pouquinho de óleo e sal. Vai depender da massa que você comprar, o meu foi coisa de três minutos para ele subir à superfície – o que indica que já pode tirar!

Escorra. Aqueça 1 colher de sopa de manteiga na frigideira e espalhe o nhoque, mexendo delicadamente de vez em quando e virando, até que tudo fique douradinho e crocante (hum!).

Em uma panela separada, aqueça a outra colher de sopa de manteiga. Refoque a cebola, acrescente o alho em pó, a ervilha torta e os cogumelos. Vá mexendo delicadamente até que os legumes estejam no ponto que você gosta – eu gosto da ervilha crocante e o cogumelo macio! Aí acrescente o cream cheese e mexa bem, a ideia não é virar um molho, mas ficar levemente cremoso.

Aí é só juntar o nhoque fritinho nessa panela e misturar tudo.

Agridoce de tomatinho
Já adianto que esse molhinho fica bom com absolutamente QUALQUER coisa, até mesmo em cima de uma simples fatia de pão, e é mega fácil de fazer. Então, guarde na manga. 😉

Refogue a cebola no óleo quente, junte os tomatinhos cortados ao meio. Espere dois minutinhos e coloque os demais ingredientes. Mexa com delicadeza e deixe refogar em fogo baixo até que fique com uma consistência pastosa.

Montagem do prato: coloque o nhoque em um prato bem bonito, um pouquinho deste molhinho agridoce em cima e o queijo de cabra em pedacinhos pequenos por todo o prato. Pode colocar um queijo parmesão ralado na hora em cima que ninguém vai reclamar não! 🙂