“Quinze dias após dar a luz, fulana exibe barriga chapada”. Quantas vezes você já viu manchetes desse tipo? Geralmente acompanha a foto de uma famosa amamentado e exibindo o tanquinho ao mesmo tempo. Uma loucura.

Eu de fato acredito que as mulheres que mantêm hábitos alimentares saudáveis e exercícios regulares são sim capazes de “recuperar” o corpo pouco depois de parir. Mas a forma como isso é jogado na nossa cara é muito agressivo. E ninguém é obrigada a nada, né, gente?

Pensando nisso, a australiana Taryn Brumfitt resolveu fazer uma espécie de “protesto”. Ao invés de postar um “antes e depois” exibindo um corpo mais robusto por conta da gravidez, e sarado no pós-parto, ela resolveu mandar a real:

Embrace Antes Depois Rep Fb

Antes da gravidez / Depois da gravidez / Reprodução/Facebook

Sou jornalista e já dei esse tipo de manchete. Não estou aqui para criticar a abordagem, porque sei como funciona o mercado de cliques. E não sou mãe, então, não posso dizer com propriedade o quão agressivo é ler esse tipo de coisa quando as questões com o corpo, no pós-parto, ainda não estão resolvidas.

Mas posso imaginar o quão reconfortante é ver alguém simplesmente sendo “normal”. Ok, engordei com a gravidez. Tá, E DAÍ? A vida segue, certo?

Taryn não esperava que sua foto pudesse alcançar tanta gente. Em pouco tempo, ela ganhou milhares de cliques, virou notícia em diversos países. E começou a ler os comentários de mulheres que se identificavam com ela.

Percebeu que a maioria esmagadora das mulheres (existem pesquisas que comprovam isso) simplesmente detesta seus corpos. Se acha feia, “imperfeita”, repugnante. A maior parte delas não se identifica com as capas de revista. E por isso, se sente inadequada.

Ela ficou tão tocada que revolveu conversar com várias mulheres que, de alguma forma, tinham uma história de aceitação para contar. Entender as motivações, angústias. O resultado dessas conversas virou o documentário Embrace, disponível no Netflix.

Embrace Poster. Divjpg

Foto: Divulgação

Se você de alguma forma se interessa por esse tema, ou tem questões com imagem corporal, ou simplesmente quer refletir sobre essa questão e sobre o quanto todos nós somos impactados por isso, assista! Essa foi minha #dica1.

A #dica2 de documentário para ver no fim de semana é o incrível My Beautiful Broken Brain, produzido por David Lynch. Ele não é sobre imagem corporal, nem sobre comida.

Mas é sobre o poder da mente, e eu acredito muito que a forma como enxergamos nós mesmos diante do espelho e, sobretudo, a forma como nos relacionamos com a comida, tem tudo a ver com a mente. Já dei outras dicas nesse sentido, como nesse post aqui, ó.

Lotje Sodderland teve um problema grave no cérebro e simplesmente teve que reaprender a fazer as coisas básicas da vida, como falar, por exemplo.

Eu fiquei pensando, quando assisti a esse documentário: o quanto às vezes nos preocupamos (estou falando comigo mesma, rs) com dois, três quilinhos a mais e, sabe…? A vida é tão mais grandiosa do que isso.

Essa história é bem impressionante e nos ensina a valorizar as coisas mais primárias que ganhamos da vida. Não vou dar muitos detalhes porque eu realmente acho que vale muito a pena assistir! Também está no Netflix.

Fica a dica e bora valorizar o que temos de melhor: nossa essência. <3

My Beautiful Broken Mind Poster Div

Foto: Divulgação