Quando comecei a escrever o Marmiteira, minha ideia não era só falar sobre marmitas práticas, gostosas e feitas com comida de verdade. Eu queria explorar mais o campo da alimentação, entender por que nosso País saiu do mapa da fome para migrar para uma epidemia tão grande como a obesidade (isso sem falar da obesidade combinada à desnutrição). Este tema me encanta.

Naquela época, eu não imaginava que alguns anos depois minha vida ia dar uma reviravolta e eu viria morar em São Francisco, Califórnia, justamente uma cidade que destoa tanto de boa parte dos clichês americanos quando o assunto é comida. Enquanto a maior parte do país está no ritmo do fast food, aqui o negócio está mais pro slow food. Pra falar a verdade aqui me parece tudo mais leve, em todos os sentidos.

O pensamento é mais aberto em vários aspectos, a liberdade individual está estampada nas ruas. As pessoas cuidam mais do corpo e da saúde: mesmo com o vento gelado que corta o sobe-desce de São Francisco, é comum vê-las ao fim do dia com suas leggings e tênis de academia.

Alimentar-se bem não é modismo, já é parte da cultura. Ó que prato cheio pra Marmiteira aqui!

Uruuu!

Ir ao mercado aqui, para mim, é um evento. Cada vez que entro em um fico passada com a diversidade de marcas locais em contraste com a quase nula oferta de produtos de grandes conglomerados da indústria alimentícia – Unilever, Nestlé, Monsanto e por aí vai.

Bargnomercado

MIMDÁ UM EMPREGO

Essa essa é só uma primeira impressão, claro. Eu ainda tenho muito que estudar, aprender e descobrir. Tenho muito mercado pra conhecer, muita feira pra visitar (viva!!!). O desafio é tentar observar além da comparação rasa com o meu País. Prometo me esforçar! 🙂 

Uma vez Marmiteira, sempre Marmiteira 

O engraçado é que eu deixei de ser marmiteira “oficialmente” há quase dois anos, quando passei a trabalhar por conta própria e, consequentemente, poder cozinhar e almoçar em casa na maior parte dos dias.

É fato que deixei de ser marmiteira apenas no sentido real da palavra: o de levar marmita para o trabalho. Mas continuo interessada no tema, e tentando, nesse humilde site, mostrar que ser saudável é mais simples (e mais barato) do que é vendido por aí. E que o que importa mesmo é sermos mais críticos sobre o que consumimos. Porque é isso que muda a sua relação com a comida, que interfere também no mercado e na sociedade como um todo.

Para mim, ser marmiteira não é ser obcecada por comida saudável ou levar marmita com frango e batata doce até pra festa de casamento (it’s so sad!!!). Na verdade, acho interessante entender a alimentação como uma parte importante da vida. Nosso corpo é nossa casa! Saúde em primeiro lugar, e a parte estética é consequência disso. 😉

Então é isso: a partir de hoje, a minha marmita deixa de atravessar a avenida dos Bandeirantes para cruzar o Golden Gate. Pretendo continuar clicando e compartilhando por aqui minhas artes na cozinha, além de dividir minhas experiências nessa cidade interessantíssima que eu já amo pacas. 

Danscalifa

Corpo em movimento, sempre!