Se vocês acham que a minha vida consiste em degustação de marmitas, estão muito enganados, amiguinhos. Essa semana estou participando da cobertura do São Paulo Fashion Week, praticamente sem tempo de comer minha própria marmita!

E no meio de tantas modelos muito mais altas e esbeltas que eu, conheci a Dani Witt, uma linda menina de 22 anos, que é nascida em Caxias do Sul e mora em Nova York por conta do trabalho nas passarelas.

Além de ser minha xará, descobri que temos outras coisas em comum (infelizmente, não é a altura nem a barriga retinha!). Assim como eu, a Dani gosta de fazer a própria comida e não dispensa uma boa marmitinha! Já ganhou meu coração. <3

No backstage de um dos vários desfiles que participou, ela me contou que enxerga no ato de cozinhar uma terapia. Disse também que, na noite anterior ao início no SPFW fez um bolo “para relaxar”. E sim, ela comeu um pedaço do bolo, para quem acha que modelo não come.

Dani é adepta do “comer de tudo, mas em pouca quantidade”, uma filosofia que eu também tento seguir. “Amo cozinhar e amo comer a comida que eu faço. Tem vez que eu trago arroz com frango pra comer no backstage. Trago sempre minha marmitinha porque é a garantia de que eu vou comer comida e não vou acabar no sanduíche.”

Comida caseira é amor
A cultura dos produtos “gordura zero” pode até ser uma coisa interessante para quem precisa perder muitos quilos. Mas você já parou para pensar que, se consumíssemos mais alimentos in natura, ficaria mais fácil manter o peso?

Me refiro a coisas que não vêm em embalagens, nem têm uma lista de ingredientes duvidosos. Que tal um bom prato de arroz feijão, frutas, pães, bolos e biscoitos caseiros, verduras?

E se você está aí torcendo o nariz para as coisas naturebas, saiba que é na ausência delas que a gente mais valoriza. “Uma coisa que eu sinto muita saudade do Brasil são as frutas, é muito mais gostoso. Lá a maçã não tem gosto de nada. Mamão é uma coisa que eu amo, mas lá tem gosto de água”, disse.

Isso sem falar na comidinha de mamãe, que ela também sente falta, especialmente da mandioca (que lá em Caxias do Sul eles chamam de aipim) com molhinho de frango. “O melhor de tudo é a comida caseira”. Olha, Dani, vou ter que concordar com você de novo.

@daniwitt/Instagram/Reprodução

Dica de top
Para comer de tudo e manter as medidas de passarela, o segredo de Dani é o planejamento. Quando vai ficar muito tempo fora de casa, ela leva na bolsa algumas coisinhas que podem repor a energia entre as refeições. Queijos, frutas secas, “nuts” como nozes, amêndoas ou castanhas, são alguns dos itens que ela sempre carrega. “Às vezes no backstage temos uma salada, mas não é uma salada completa, então acrescento o queijinho. Às vezes trago também queijo com figo seco e damasco, fica uma delícia.”

Outro item que não falta na marmita é a quinoa. “É algo que vai não dar cheiro ou estragar com facilidade. É uma das coisas que salvam meu fashion week sempre.”

Entre as receitas preferidas, ela me ensinou uma que já estou com água na boca. Acaba, SPFW, pra eu poder cozinhar este prato!

Trata-se de um peixe com banana, que ela explica: não é totalmente light. “Eu gosto de cozinhar e faço coisas até que não são super saudáveis mas que eu como pouco.”

Dani prefere ter bom senso na hora de montar as porções, e não se privar de nada – nem de hambúrguer -, do que ficar passando vontade e depois fazer o tal do “dia do lixo”, prática que muitas famosas mantêm, reservando um único dia da semana para se acabar de comer porcaria. “O dia do lixo engorda! Eu não apoio”, disse.

E a receita do peixinho é uma dessas que ela adora fazer, mas come com moderação. O prato parece de fato delicioso e fácil de fazer: do jeito que eu gosto! “Boto a tilápia para marinar, depois coloco numa bandejinha com umas fatias de banana, molho branco por cima, jogo queijo parmesão, e coloco no forno. Fica incrível”, garante a top.

E aí, anotaram? Então bora marmitar que é um luxo e tá na moda!